PARQUE DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA OBTEVE PARECER FAVORÁVEL

implantacao_PCT O Parque de Ciência e Tecnologia de Trás-os-Montes e Alto Douro obteve o parecer favorável da Comissão Técnico-científica de Acompanhamento do Programa Operacional da Região do Norte. Um passo importante e decisivo para que o projecto possa passar do papel à realidade, ficando, assim, aberto o caminho para a sua aprovação na próxima unidade de gestão da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento da Região Norte.

Visivelmente satisfeito com o andamento do processo e cada vez mais confiante de que o projecto reúne todas as condições para chegar a bom porto, o Presidente da Câmara Municipal de Vila Real, Manuel Martins, acredita que o futuro do Interior Norte também passa por aqui. “Depositamos grandes expectativas neste Projecto que é, sem dúvida, estruturante e essencial para a sustentabilidade do Concelho e da Região. A nossa grande aposta está a ser feita em projectos desta natureza, apoiados na Inovação, no Conhecimento, na Ciência e na Tecnologia, capazes de impulsionar o desenvolvimento local, criar mais de 1000 novos postos de trabalho qualificado, fixar jovens, atrair empresas e acrescentar valor ao que já temos, dotando a Região de maior competitividade. Só assim conseguiremos impulsionar a evolução estrutural da nossa economia, não apenas local, mas de todo o Interior Norte, para sectores de média-alta e alta intensidade tecnológica, contribuindo para o aparecimento e consolidação de novos produtos, serviços e soluções”.

Recorde-se que este projecto resulta de uma parceria entre a Câmara Municipal de Vila Real e a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, em colaboração com a Câmara Municipal de Bragança, o Instituto Politécnico de Bragança e a PortusPark - Rede de Parques de C&T e Incubadoras.

O futuro Parque de Ciência e Tecnologia vai dedicar-se, em primeira linha, ao desenvolvimento do sector agro-industrial e ao incremento de novas práticas e tecnologias nas áreas do Ambiente, Paisagem, Biotecnologia, Ciências Florestais e Veterinárias, focalizando-se no sector do Vinho e da Vinha, uma área de intervenção que não está contemplada na actual rede de Parques de Ciência e Tecnologia.

Saliente-se, ainda, a este propósito, que a Autarquia de Vila Real deu já por concluído o processo negocial de aquisição dos terrenos, junto ao nó de Andrães da A24, onde vai nascer o Parque de Ciência e Tecnologia, um investimento que rondou os 640 mil euros.