MÁRCIO MARTINS VENCE 3ª EDIÇÃO DO PRÉMIO DR.ª MARIA LUTEGARDA NA CATEGORIA DE INVESTIGADOR INDIVIDUAL

MÁRCIO MARTINS VENCE 3ª EDIÇÃO DO PRÉMIO DR.ª MARIA LUTEGARDA NA CATEGORIA DE INVESTIGADOR INDIVIDUAL

Márcio Martins, atual Provedor do Cidadão com Deficiência ou Incapacidade do Município de Vila Real e colaborador do CERTIC da UTAD, foi o vencedor da 3.ª Edição do prémio Dr.ª Maria Lutegarda, na Categoria de Investigador Individual, com o trabalho realizado no âmbito da sua Tese de Doutoramento em Informática pela UTAD, orientada pelo Professor Doutor Francisco Godinho e pelo Professor Doutor Ramiro Gonçalves.

Metodologias e técnicas de avaliação das normas europeias de acessibilidade em procedimentos de compras públicas de produtos e serviços de TIC é o título do estudo doutoral do premiado e, segundo o mesmo, “incidiu na análise da norma sobre requisitos de acessibilidade para produtos e serviços de TIC, a EN 301 549, que suportam uma legislação no domínio das compras públicas pouco conhecida no âmbito da acessibilidade, a Diretiva 2014/24/UE, tendo em vista a facilitação da sua introdução e a aplicação em Portugal e nos países da UE, resultando na criação da Ferramenta de Requisitos de Acessibilidade para TIC (FRATIC)”.

Os principiais beneficiados com a utilização desta ferramenta serão os profissionais responsáveis e envolvidos de alguma forma nas diferentes fases dos procedimentos de compras de TIC e de projetos e desenvolvimento de produtos e serviços TIC acessíveis. Os Municípios são uns dos potenciais beneficiados, estando o premiado disponível para colaborar com os Serviços do Município de Vila Real para que sejam pioneiros no cumprimento de requisitos de acessibilidade relativamente recentes. O Doutor Márcio Martins “acredita, que o pioneirismo das aplicações e a utilidade do trabalho realizado podem simplificar a aplicação de requisitos de acessibilidade da norma europeia EN 301 549 em procedimentos de concursos públicos de produtos e serviços TIC, bem como o trabalho de designers e de desenvolvedores de produtos e serviços TIC, tornando-os mais acessíveis e utilizáveis por um número crescente de utilizadores, a um preço competitivo e sem custos adicionais, e espera honesta e humildemente que este prémio possa alavancar o reconhecimento, dar notoriedade pública e apoio para o trabalho futuro”.

O Prémio Dr.ª Maria Lutegarda é apresentado bianualmente pela Fundação AFID Diferença, contando com o Alto Patrocínio de Sua Excelência o Presidente da República. Este prémio foi criado em memória da antiga Diretora da Fundação, a Dr.ª Maria Lutegarda, e visa premiar a Investigação Científica na área da Reabilitação e da intervenção junto de pessoas com deficiência.

ESCRITOR A. M. PIRES CABRAL RECEBE NOVA DISTINÇÃO PELO SEU TRABALHO LITERÁRIO

O escritor A. M. Pires Cabral ((Chacim, Macedo de Cavaleiros, 1941) foi distinguido com o Prémio de Tributo Consagração 2023, da Fundação Inês de Castro. Trata-se de um prémio destinado a galardoar a qualidade do conjunto da obra literária dos escritores. O júri era constituído por Isabel Pires de Lima, Isabel Lucas, Mário Cláudio e António Carlos Cortez e presidido por José Carlos Seabra Pereira. Foram já distinguidos com este prémio, em anos anteriores, escritores como Lídia Jorge, Nuno Júdice, Vasco Graça Moura, Manuel Alegre e Urbano Tavares Rodrigues, entre outros.

Salienta-se que A.M. Pires Cabral venceu, também, recentemente, o Prémio de Poesia do IV Festival Literário ‘Tabula Rasa’ de Fátima (2023), com o livro Caderneta de lembranças, editado pela Tinta-da-china em 2021, já premiado em duas outras ocasiões (Prémio de Poesia António Gedeão 2022, da Fenprof, e o Prémio de Poesia Ruy Belo 2022, da Câmara Municipal de Sintra).

Recorde-se que a Câmara Municipal de Vila Real atribuiu ao Grémio Literário Vila-realense o nome A. M. Pires Cabral prestando, desta forma, uma merecida homenagem ao Homem que foi o grande impulsionador e dinamizador desta agremiação, tendo sido o responsável pela divulgação dos escritores trasmontanos e durienses, dinamizando um conjunto de ações e iniciativas que tornaram este espaço num verdadeiro Observatório da Literatura Transmontano-Duriense.

Deste modo, foi com particular satisfação que o Município recebeu esta notícia, congratulando o escritor A.M. Pires Cabral pelo reconhecimento alcançado.

TRANSFERÊNCIA DE VERBAS PARA ESCOLAS AGRUPADAS E NÃO AGRUPADAS - 2024

O Município de Vila Real, no âmbito da delegação de competências para os órgãos municipais e para as entidades intermunicipais no domínio da educação, aprovou a calendarização da transferência de verbas para as escolas agrupadas e escolas não agrupadas, referentes à dotação orçamental do IGeFE (Instituto de Gestão Financeira da Educação) para o ano 2024, no valor de 639 412€. Esta verba destina-se ao pagamento das despesas correntes dos estabelecimentos de educação e ensino, nomeadamente, despesas com água, eletricidade, combustíveis e comunicações, limpeza, higiene, material de escritório e conservação.

Foi ainda aprovada a transferência de 60 985€, do orçamento municipal, para despesas de apoio a atividades educativas. Deste valor, 29.272€ serão distribuídos pelos dois Agrupamentos de Escolas e pelas duas Escolas Secundárias, com vista a apoiar as atividades escolares e extracurriculares dos diversos estabelecimentos de educação da rede pública, desde o ensino pré-escolar até ao secundário. Este montante foi apurado tem em consideração o número total de crianças no ensino pré-escolar, o número de alunos do 1º ciclo do ensino básico, o número de alunos sem escalão, o número de alunos benificiários de escalão A e B, de todos os níveis de ensino, e o número de alunos com necessidades específicas.

“Com esta medida a autarquia pretende, por um lado, incentivar as escolas a continuarem a promover iniciativas de enriquecimento curricular, e por outro lado, assegurar que nenhum aluno será excluído por dificuldades financeiras”, sublinhou o vice-presidente e vereador do pelouro da educação e ensino, Alexandre Favaios. A restante verba municipal destina-se à aquisição de material escolar para os alunos do primeiro ciclo do ensino básico e fornecimento de fotocópias e impressões para o ensino pré-escolar e 1º CEB. Estas transferências são efetuadas em duodécimos ou em tranches, conforme a tipologia da despesa.

CONCERTO PEDAGÓGICO “ÓPERA? OH QUE SECA”

No dia 18 de janeiro de 2024, os Agrupamentos de Escolas Diogo Cão e Morgado Mateus e as Escolas Secundárias de São Pedro e Camilo Castelo Branco receberam o espetáculo "Ópera? Oh que seca...", um projeto que se enquadra no mesmo âmbito de ação do plano nacional das artes e é em complementaridade com estes objetivos que surge.

Nas quatro sessões, realizadas com o apoio do Município, em evidência e em cena estiveram as potencialidades da arte e a sua importância na aprendizagem e no crescimento integrado e global dos alunos. “Levar a ópera às nossas escolas é exemplo do nosso investimento na igualdade de oportunidades e de acesso a diversidade de formas de aprendizagem” frisou Alexandre Favaios, vice-presidente e vereador da educação.

"Ópera? Oh que seca..." é um concerto pedagógico para toda a comunidade escolar focado em aproximar o público do teatro, da ópera e das artes performativas. Em cena, quatro artistas procuram, de forma descontraída, íntima e divertida, por entre as desavenças e amores que os movem, esclarecer as potencialidades da arte e a sua importância na aprendizagem e no crescimento. No final, nada melhor do que uma conversa conjunta com palhaços que cantam, abrindo caminho à reflexão sobre o caminho de cada um, a aversão ao desconhecido e o talento que pode estar escondido em cada um de nós.

AUTOCARRO ITINERANTE CREACTIVITY VISITADO POR CERCA DE 350 ALUNOS VILA-REALENSES

Vila Real recebeu, nos dias 22, 23 e 24 de janeiro de 2024, o autocarro itinerante Creactivity, da Fundação “La Caixa”, por onde passaram cerca de 350 alunos do primeiro e segundo ciclos, ensino secundário e ensino profissional.

Nas várias atividades realizadas, sob orientação de um monitor, os alunos desenvolveram atividades de investigação, desafios concretos, pensaram em soluções para esses desafios, improvisaram e trabalharam em grupo.

O Creativity, através de um contexto inovador de aprendizagem inspirado no movimento Tinkering do Exploratorium de San Francisco, propõe aos participantes encontrar soluções originais para problemas simples, incentiva as crianças a serem criativas e aprenderem com os erros, potenciando a inovação através da experimentação e o pensamento crítico e criativo.

Alexandre Favaios, vice-presidente e vereador da educação da autarquia vila-realense, acompanhou duas das sessões deste interessante projeto concebido para despertar o engenho, a destreza e a criatividade das crianças, onde assistiu a algumas das atividades desenvolvidas e testemunhou o entusiasmo e curiosidade dos alunos perante os desafios que lhes foram apresentados.

Contactos
   259308100

  geral@cm-vilareal.pt

   Avenida Carvalho Araújo
     5000-657 Vila Real
Aplicação do Município
A nossa aplicação está disponível para IOS e ANDROID
Informações