rock6 rock6 rock6 rock6 rock6 rock6 rock6 rock6 rock6


ROCK NORDESTE

Contribuindo para o enriquecimento cultural da cidade, O Rock Nordeste "Festival de Música Moderna", inunda Vila Real com os seus sons na segunda quinzena de julho. Tendo a sua génese na década de 80, foi nos anos 90 que conheceu o seu ponto alto, com o objetivo de divulgar novas bandas no panorama musical português. Depois de alguns anos de interregno, em 2004 a Câmara Municipal de Vila Real decidiu reeditar o Festival e alargar a possibilidade de participação a bandas de todo o país. Ao longo desta fase, contou com um Júri de referência, composto por Miguel Pedro, dos Mão Morta, João Carvalho, diretor do Festival de Paredes de Coura, Nuno Calado, radialista da Antena 3, Vítor Figueiredo, copyrighter da SIC, Jorge Romão, dos GNR, Rui Manuel Santos, radialista e Zé Pedro dos Xutos&Pontapés, tornando-o num marco nos festivais do género em Portugal.
Em 2011 o Festival conheceu outra dimensão a que não foi alheia a mudança de local, se primeiro era realizado no Teatro Municipal de Vila Real, em 2011 passou a ser feito no Complexo de Codessais, num ambiente próximo do rio Corgo, do parque de campismo e das piscinas municipais, e com uma operação logística de maior envergadura. Por outro lado, a organização do Festival passou a ser da responsabilidade da Associação Douro Alliance - Eixo Urbano do Douro, em parceria com o Município de Vila Real.


10ª EDIÇÃO E NOVO FORMATO

Em 2014 assinalou-se a 10ª edição do festival com a aposta, entre outras novidades, na introdução de um novo formato, conferindo-lhe uma componente mais de festival de música e não tanto de concurso de bandas.
Entre os dias 26 e 27 de junho, o Parque Corgo e o auditório exterior do Teatro Municipal receberam concertos de 6 bandas e atuações de 3 DJ’s. Dead Combo, Capicua, Octa Push, The Glockenwise, Brass Wires Orchestra, Sensible Soccers, Switchst(d)ance, Steve Parker e Midnight foram os artistas portugueses que arrastaram oito mil pessoas ao Parque Corgo.
O festival recebeu, também, o mercado Vila Real Urban Market, ao estilo flea market, que contou com a presença de vários vendedores. A complementar a programação, esteve, ainda, montada no recinto a exposição de fotografia Portugal Rebelde em Palco da autoria de Ângelo Silva, com muitos visitantes e curiosos, numa prova inequívoca do potencial multidisciplinar deste evento.