cristasCRISTAS DE GALO
As Cristas de Galo (primeiramente designados como pastéis de toucinho-do-céu) nasceram no extinto convento de Santa Clara, em Vila Real, e foram adquirindo, ao longo do tempo, a denominação de “Cristas” pela forma que apresentam. O seu interior é recheado com doce de ovos, e a cobertura externa é feita de massa com base em farinha.

  

 

 

 

 

 

pitosPITOS DE SANTA LUZIA
Com origem no antigo Convento de Santa Clara, os Pitos de Santa Luzia ganharam forma e paladar pelas mãos de Maria Ermelinda Correia, uma Irmã Imaculada de Jesus, que, segundo reza a história, era muito gulosa. Ora, sabendo a Madre Superiora de toda a sua gula, proibiu-a de comer todo o tipo de doces. A Irmã Ermelinda Correia, não conseguindo controlar a sua gulodice, criou um doce cuja forma se assemelhava muito com os pachos de linhaça com que tratava os doentes com problemas de olhos. E assim nasceu o Pito de Santa Luzia (padroeira dos doentes com problemas de olhos), uma especialidade com recheio de doce de abóbora e cobertura de massa de farinha, que é um dos ex libris de Vila Real.
Manda a tradição Vila-realense que as raparigas ofereçam o Pito aos rapazes nos dias da Festa de Santa Luzia.


ganchaGANCHA
Há quem afirme que a Gancha seria uma espécie de "instrumento" para retirar objectos estranhos alojados na garganta, ao mesmo tempo que teria um efeito atenuante sobre a irritação e inflamação da mesma; outra versão é a de que ela simboliza o báculo bispal de S. Brás, tido como padroeiro das doenças da garganta.
Manda a tradição que nos dias da Festa de São Brás os rapazes ofereçam a «Gancha» às raparigas, que retribuem, no dia de Santa Luzia, com uma outra especialidade local, o «Pito», um pastel recheado com doce de abóbora.

 

 

 


covilhetesCOVILHETES
Os Covilhetes são uma espécie de empadas que devem o seu nome à pequena forma de barro preto (de Bisalhães) em que iam ao forno. Hoje em dia, o molde já não é de barro, mas o nome mantém-se.
A tradição desta especialidade é muito antiga e está ligada às festas de Santo António, do Senhor do Calvário e da Senhora da Almodena, que eram as únicas ocasiões de venda desta especialidade. Desde a década de 60 do séc. XIX que os Covilhetes começaram a ganhar notoriedade na Gastronomia Vila-Realense, e, no séc. XX, havia pessoas que os vendiam pelas ruas da Cidade em tabuleiros cobertos com panos de linho. Actualmente, podemos comprar Covilhetes numa qualquer pastelaria de Vila Real, pois são comercializados diariamente. Este feito foi começado na década de 40 do séc. XX por Margarida da Conceição de Sousa Magalhães Gomes, da Pastelaria Gomes.
Os Covilhetes devem ser consumidos imediatamente depois da sua cozedura.


cavacoriosCAVACÓRIOS
Os Cavacórios são especialidades em forma côncava, semelhante a uma taça, que, conjuntamente com as Bexigas, fazem parte dos doces típicos das festas em honra de São Lázaro, que é considerado o protector contra as doenças de pele (varíola, bexigas e outras.).